replica rolex rolex is still the best choice inside of the global watch market sector.
diamond painting made in usa.

what companies are selling legit cheap sex doll?

Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Plano Diretor

Publicado: Terça, 27 de Junho de 2017, 22h42 | Última atualização em Segunda, 11 de Dezembro de 2017, 17h10 | Acessos: 17807

O Plano Diretor do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas para o período 2017 a 2021 busca integrar sua experiência de êxito, como instituição pioneira e de excelência na implantação da física no Brasil, com sua missão como instituto nacional de Física do MCTIC e polo de investigação científica e formação, treinamento e aperfeiçoamento de pessoal científico. Segundo a Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação - ENCTI 2016-2022, a centralidade do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação - SNCTI demanda uma abordagem que considere três dimensões que fortaleçam o Eixo Estruturante desta Estratégia: (1) a expansão, (2) a consolidação e (3) a integração. Avançar nessas dimensões é um esforço que deve ser considerado a partir dos pilares fundamentais que compõem o SNCTI:

 

  1. Promoção da pesquisa científica básica e tecnológica
  2. Modernização e ampliação da infraestrutura de CT&I
  3. Ampliação do financiamento para o desenvolvimento da CT&I
  4. Formação, atração e fixação de recursos humanos
  5. Promoção da inovação tecnológica nas empresas

  

Os Pilares Fundamentais do Plano Diretor do CBPF foram definidos priorizando- se a missão da Instituição e sua visão de futuro, assim como as condições dos ambientes interno e externo. Esses pilares foram compatibilizados com a Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação - ENCTI 2016-2022 e expressos em programas. Cada programa compreende objetivos, subprogramas e respectivas metas.

 

O Pilar Fundamental I - Promoção da Pesquisa Científica Básica e Tecnológica - engloba os programas Física de Altas Energias e Astropartículas; Física da Matéria Condensada, Materiais e Nanociências e Física Aplicada; Física Teórica; Instrumentação Científica e Documentação e Informação Científica e tem como objetivos: 

 

  • Desenvolver pesquisas em Física de Altas Energias e Astropartículas e atuar como centro nacional, apoiando os grupos que participam de projetos experimentais em colaborações internacionais. 
  • Desenvolver pesquisas em Física da Matéria Condensada, Materiais, Nanociências e temas multidisciplinares e atuar como centro nacional cooperando com instituições do país e do 
  • Desenvolver pesquisas em Física Teórica e atuar como centro nacional, cooperando com instituições do país e do exterior.
  • Desenvolver pesquisas em Astrofísica, Cosmologia e Interações Fundamentais e atuar como centro nacional, cooperando com instituições do país e do exterior. 
  • Desenvolver instrumentação científica, atuando em projetos institucionais, em colaborações nacionais e internacionais, contribuindo com novas técnicas e tecnologias que possam induzir inovações, com base científica, para a sociedade brasileira.
  • Publicar, catalogar, armazenar, manutenção, difundir e permitir o acesso ao conhecimento científico, pedagógico e técnico através de periódicos especializados, nacionais e internacionais, notas de aula, livros, manuais e relatórios técnicos de física e áreas correlatas.

 

O Pilar Fundamental II - Modernização e Ampliação da Infraestrutura de CT&I - tem como linha de ação a Tecnologia da Informação e Computação voltada ao seguinte objetivo:

  • Desenvolver a Computação, organizar e expandir a infraestrutura de processamento de alto desempenho, comunicação em redes de alta velocidade, segurança da informação e automação de experimentos, contribuindo para projetos institucionais, nacionais e internacionais, em articulação com instituições regionais e nacionais.

 

O Pilar Fundamental IV - Formação, Atração e Fixação de Recursos Humanos - compreende ações voltadas à Formação Científica e seu objetivo é: 

  • Ampliar a atuação regional, nacional e internacional do CBPF nas atividades de formação científica com os programas de Pós-Graduação acadêmico e profissional e o Programa de Iniciação Científica.

 

No âmbito do Pilar Fundamental V - Promoção da Inovação Tecnológica nas Empresas - são propostas duas linhas de ação: Nanociência, Nanotecnologia e Inovação Tecnológica. Os objetivos a serem alcançados são:

  • Desenvolver pesquisa básica e aplicada em nanomateriais avançados e nanodispositivos, contribuindo para o desenvolvimento tecnológico industrial brasileiro e fomentando a inovação no âmbito da Iniciativa Brasileira de Nanotecnologia (IBN); e

Desenvolver processos, protótipos, software e técnicas, gerando inovações significativas com ciência agregada e com impacto para a indústria nacional e a sociedade brasileira em consonância com a Lei de Inovação.

 

Também integram a ENCTI os chamados “Temas Estratégicos” que englobam a relação entre as Ciências e as Tecnologias voltadas ao desenvolvimento social. A principal linha de ação a ser desenvolvida nesta área no CBPF está vinculada às atividades de difusão e popularização da ciência. Para tal, o CBPF dará continuidade a atividades que visem:

  • Estimular a difusão e popularização da Física através de programas com alcances diversificados visando atingir diferentes segmentos da sociedade.

 

 

Diretrizes de Ação

 

Para a execução deste PDU e sua contribuição para o desenvolvimento da pesquisa científica em Física e áreas afins no Brasil, o CBPF prioriza as seguintes diretrizes estratégicas e metas no âmbito das atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação; transferência de conhecimentos e tecnologias; gestão organizacional; recursos financeiros e infraestrutura para pesquisa e desenvolvimento.

Diretriz 1: Gestão Estratégica

Diretriz 2: Gestão Administrativo-Financeira

Diretriz 3: Infraestrutura para Pesquisa e Desenvolvimento

Diretriz 4: Difusão do Conhecimento

 

Três projetos estruturantes integram este Plano Diretor: o Centro de Estudos Avançados; o Centro de Inovação para a Ciência; e o Centro da Matéria e Nanotecnologia. A estruturação desses centros dará mais eficiência  a  atividades que já são realizadas, e permitirá, também, maior sinergia com os outros institutos do MCTIC.

A quantificação das metas, em particular quanto à produtividade científica (número de artigos publicados), foi feita considerando-se os pesquisadores e tecnologistas atualmente trabalhando em cada área e o histórico da produtividade dos diferentes grupos nos últimos quatro anos com base nos resultados expressos nos relatórios anuais do Termo de Compromisso de Gestão, firmados anualmente com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

 

 

Apresentação

 

A pesquisa científica no Brasil – pelo menos, feita de forma sistemática – é um advento recente. Porém, não há dúvida de que, hoje, a ciência brasileira, com base nos avanços das últimas décadas, tem qualidade comparável à das nações ditas desenvolvidas.

Os Institutos de Pesquisa do MCTIC são a infraestrutura do sistema de C,T&I nacional e o melhor instrumento com o qual todo Governo pode contar para crescer economicamente e promover o desenvolvimento social é um sistema de C,T&I forte em sua infraestrutura e revigorado por jovens bem formados.

Este é o terceiro Plano Diretor do CBPF, elaborado a partir de uma política de Planejamento Estratégico iniciada em 2005, pelo então Ministério da Ciência e Tecnologia, com a finalidade de alinhar as atividades dos institutos de pesquisa a ele vinculados aos programas nacionais para a área de C,T&I. O documento estabelece as orientações para a atuação do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas no período de 2017 a 2021 e destaca o papel do CBPF como gerador de conhecimento de fronteira e de pesquisa aplicada, contribuindo para a criação de produtos e serviços inovadores em benefício da sociedade. Nele estão sintetizadas as propostas discutidas por pesquisadores, tecnologistas e gestores da instituição no processo de Planejamento Estratégico realizado, ainda na gestão anterior, ao longo de todo o ano de 2015. Essas propostas estão alinhadas às orientações da Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (ENCTI) para o período 2016-2022.

Cumpre ressaltar que, apesar dos bons resultados do CBPF, expressos nos relatórios anualmente encaminhados ao MCTIC, e disponibilizados em sua página eletrônica, a redução drástica de seu quadro de servidores - 153 em 2011 e 123 em 2017 – e os constantes cortes e contingenciamentos em seu orçamento representam grave risco para sua missão, assim como para o cumprimento deste PDU.

RONALD CINTRA SHELLARD

Diretor

 

 

 Plano Diretor do CBPF 2017-2021 [PDF].
 Plano Diretor do CBPF 2011-2015 [PDF].
 Plano Diretor do CBPF 2006-2010 [PDF].

registrado em:
Fim do conteúdo da página