Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Simpósio no CBPF quer discutir grupo de físicos que ousaram transgredir

  • Publicado: Sexta, 25 de Janeiro de 2019, 13h43
  • Última atualização em Sexta, 25 de Janeiro de 2019, 14h30
  • Acessos: 3019

O Centro de Estudos Avançados em Cosmologia (CEAC) e o Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), ambos no Rio de Janeiro (RJ), juntam-se para realizar, em 14 de março próximo, um simpósio sobre os ‘transgressores’ da física do século passado.

Um dos objetivos do evento é apresentar, ao grande público ‒ sem fazer culto à personalidade ‒, um olhar crítico sobre um seleto grupo de cientistas que, com suas obras científicas e seus pensamentos filosóficos, abalaram os alicerces do conhecimento da natureza em suas épocas.

“Na primeira metade do século passado, ocorreu uma transformação profunda na ciência da natureza com o advento da teoria quântica e com o progresso na compreensão da dinâmica do universo pela cosmologia. Nesse simpósio, iremos analisar as ideias de alguns cientistas que participaram ativamente desse processo”, disse Mario Novello, pesquisador emérito do CBPF e organizador do simpósio.

 

Da esq., em sentido horário: Einstein, Sakharov, Hoyle, Friedmann, Bohm, Gödel e Dirac

(Crédito: Wikimedia commons*)

 

O simpósio ‒ que ocorrerá no Auditório Ministro João Alberto Lins de Barros, no CBPF ‒ conta com o patrocínio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e apoio da revista eletrônica Cosmos e Contexto.

A programação é a seguinte:

9h: Abertura

9h15: Albert Einstein (Carlos Romero, UFPb)

10h15: Aleksander Friedmann (Ioav Waga, UFRJ)

11h15: Fred Hoyle (Eduardo Bittencourt, Unifei)

14h: David Bohm (Nelson Pinto Neto, CBPF)

15h: Paul Dirac (José Helayël-Neto, CBPF)

16h: Andrei Sakharov (Ignácio Bediaga, CBPF)

17h: Kurt Gödel (Mario Novello, CBPF)

 

A seguir, ensaio de Novello sobre o tema.

 

Os transgressores: a revolução na física do século 20

 

Na primeira metade do século passado, ocorreu uma transformação profunda na ciência da natureza. No mundo microscópico, com o advento da teoria quântica, e no mundo macroscópico, com o progresso na compreensão da dinâmica do universo pela cosmologia. Nesse simpósio, iremos percorrer esse maravilhoso caminho através das ideias de cientistas que participaram ativamente desse processo.

O Centro de Estudos Avançados de Cosmologia (CEAC) e o CBPF ‒ com o patrocínio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e apoio da revista eletrônica Cosmos e Contexto ‒ promoverão, em 14 de março próximo, no CBPF, um simpósio  a portas abertas para rememorar o modo pelo qual aconteceu aquela mudança profunda no conhecimento da natureza.

 Iremos seguir os passos de Paul Dirac (1902-1984), com José Helayël-Neto, do CBPF; o também britânico Fred Hoyle (1915-2001), com Eduardo Bittencourt, da Universidade Federal de Itajubá (MG); o alemão Albert Einstein (1879-1955), com Carlos Romero, da Universidade Federal da Paraíba; o russo Aleksander Friedmann (1888-1925), com Ioav Waga, da Universidade Federal do Rio de Janeiro; o russo Andrei Sakharov (1921-1989), com Ignácio Bediaga, do CBPF; o norte-americano David Bohm (1917-1992), com Nelson Pinto Neto, do CBPF; e o austríaco Kurt Gödel (1906-1978), com Mario Novello, do CBPF.

Embora possamos caracterizar a principal atividade desses cientistas como a investigação ‒ seja no mundo microscópico das partículas elementares, seja na grandiosidade do universo das centenas de bilhões de galáxias ‒, todos se envolveram de alguma forma com a interação local/global e com os efeitos mútuos entre o mundo quântico e a cosmologia.

Poderíamos associar, de modo simplificado, a atividade de Einstein com a relatividade geral; Friedmann com o cenário expansionista do cosmos; Sakharov com a proposta de gênese da matéria bariônica; Dirac com o mundo quântico; Hoyle com a ideia de um universo estacionário; Bohm com uma nova interpretação da teoria quântica; e Gödel com a desconstrução da causalidade e do universo em rotação.

No entanto, essa visão certamente simplista da totalidade do pensamento e da obra desses cientistas reduz a importância que eles tiveram e, mais do que isso, não representa fielmente suas atividades como desbravadores do pensamento crítico. 

Cabe observar que o objetivo do simpósio não é o do culto à personalidade ‒ uma vez que toda atividade intelectual é obra coletiva. Aqui, estamos somente apresentando momentos importantes da física do século passado, a partir de um grupo representativo desse período, e enfatizando o modo como um olhar crítico pode abalar alicerces aceitos até então como sólidos sustentáculos de nosso conhecimento da natureza.

 

Mario Novello

Pesquisador Emérito

CBPF

 

SERVIÇO:

Evento: ‘Os transgressores: a revolução na física do século 20’

Inauguração: 14 de março de 2019

Local: Auditório Ministro João Alberto Lins de Barros, no CBPF, à rua Xavier Sigaud 150, Urca, Rio de Janeiro (RJ)

Horário: das 9h às 18h

Inscrição: sem necessidade

Entrada: gratuita (Público externo deve apresentar documento de identificação na portaria)

 

Mais informações:

Centro de Estudos Avançados de Cosmologia: www.ceacbrasil.com.br

CBPF: portal.cbpf.br

Finep: www.finep.br

Cosmos e Contexto: www.cosmosecontexto.org.br

 

* David Bohm - Inicialmente carregado por Karol Langner em Wikipédia em inglês - Transferido de en.wikipedia para a wiki Commons., Attribution, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=3037230Fred Hoyle - By Source, Fair use, https://en.wikipedia.org/w/index.php?curid=3660333; Andrei Sakharov - Por RIA Novosti archive, image #25981 / Vladimir Fedorenko / CC-BY-SA 3.0, CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=16787252

registrado em:
Fim do conteúdo da página