Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Recém-atualizada, grid do CBPF faz sucesso junto à sua congênere no CERN

  • Publicado: Quarta, 24 de Janeiro de 2018, 17h03
  • Última atualização em Quarta, 24 de Janeiro de 2018, 22h42
  • Acessos: 409

Poucos meses depois de passar por uma atualização, a página de grid LCG-CBPF (sigla, em inglês, para grade computacional para o Grande Colisor de Hádrons no Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas) praticamente dobrou sua produtividade, colocando-se em posição de destaque junto à colaboração LHCb, um dos quatro grandes experimentos do Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (CERN), com sede em Genebra (Suíça), onde funciona o LHC, mais potente acelerador de partículas do mundo.

No segundo semestre do ano passado, foi liberada, pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), parte dos recursos aprovados para a página de grid do CBPF ainda em 2012. Com essa verba, foram adquiridos, pelo CBPF, computadores para a atualização da página de grid.

Com a aquisição de máquinas mais ‘densas’, dotadas de mais processadores (ou cores), a página de grid do CBPF saltou de 860 para 1.640 processadores, o que corresponde a um aumento de aproximadamente 90% nesse quesito. Houve também aquisição de discos rígidos, passando a página a ter agora 260 terabytes (260 Tb), o que representa um aumento de 42% em relação à capacidade de armazenamento anterior.

Uma grid como o LCG-CBPF – ferramenta computacional poderosa que está disponível para colaboradores do CERN de várias partes do mundo – tem como funções básicas o armazenamento de dados do LHC e a execução de trabalhos (tecnicamente, jobs) de simulação relacionados às colisões de partículas realizadas nos experimentos do LHC.

 

Posição de destaque

A página de grid do CBPF tem produzido, desde sua atualização, ocorrida em meados do ano passado, um volume de jobs que se destacou junto ao LHCb. Na figura – produzida pela grid do LHCb –, pode-se ver a produção de alguns dos mais de 60 centros que trabalham para aquele experimento do CERN.

Como mostra o gráfico, a produção do CBPF correspondeu a 4% do total de jobs na semana passada, ficando a LCG-CBPF em 5º lugar – na frente de grandes centros computacionais da Europa, como SARA e Nikhef, na Holanda, e PIC, na Espanha.

 

 

 

A equipe da página de grid do CBPF conta hoje com três tecnólogos – Renato Santana (coordenador técnico), Jaime Paixão e Eraldo Silva Jr. –, bem como três bolsistas PCI (Programa de Capacitação Institucional), Caio Paixão, William Camelo e Carolina Gianinni, coordenados pelo pesquisador titular do CBPF Ignácio Bediaga.

 

Aspecto geral da sala onde estão os computadores no LCG-CBPF

(Crédito: CBPF)

 

Mais informações:

http://portal.cbpf.br/pt-br/grupos-de-pesquisa/grid-computacional

http://wlcg-public.web.cern.ch/

registrado em:
Fim do conteúdo da página