Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Exibição de ‘Nossos Mortos Têm Voz’ terá representante do IAB

  • Publicado: Quinta, 23 de Agosto de 2018, 16h29
  • Última atualização em Segunda, 27 de Agosto de 2018, 13h28
  • Acessos: 1309

Na próxima segunda-feira (27/08), a discussão e o debate que se seguirão à exibição, às 15h, do documentário ‘Nossos Mortos Têm Voz’ ‒ centrado na violência contra jovens negros na Baixada Fluminense ‒ contarão com a presença de Victoria de Sulocki, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB). Também estarão presentes à mesa representantes de mães e familiares de vítimas, associações e fóruns.

Com cerca de 30 minutos de duração ‒ e com pré-estreia que ocorreu em março deste ano ‒, ‘Nossos Mortos Têm Voz’, da Quiprocó Filmes, apresenta uma narrativa a partir do depoimento de familiares e vítimas da violência de estado na Baixada Fluminense, bem como imagens de arquivos. O foco é a violência contra jovens negros.

 

Presentes à mesa

Participarão da mesa de conversa Luciene Silva, Nívea do Carmo e Silvane Azevedo (respectivamente, mães e irmã de vítimas), da ‘Rede de Mães e Familiares das Vítimas de Violência de Estado na Baixada Fluminense’; Fernando Sousa, diretor e roteirista do documentário; Lorena Maia, do ‘Fórum Grita Baixada’; e Marinete da Silva, mãe de Marielle Franco (1979-2018), vereadora do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) recentemente executada no Rio de Janeiro (RJ); e Victoria de Sulocki, do Departamento de Direito da PUC-Rio e presidente da Comissão Permanente de Direito Penal do IAB.

 

Cartaz da exibição do documentário Nossos Mortos Têm Voz no CBPF

(Crédito: Quiprocó filmes)

 

Mortos do Brasil

No Brasil, segundo o Atlas da Violência 2018, ocorreram cerca de 63 mil homicídios em 2016, o que equivale a uma taxa de 30,3 mortes por cada 100 mil habitantes (30 vezes a da Europa, por exemplo). Desse total de pessoas assassinadas a cada ano, 71,5% são pretas ou pardas. Nos últimos dez anos, mais de meio milhão de pessoas foram vítimas de mortes violentas intencionais no país.

A organização do evento é da física teórica Ligia M. C. S. Rodrigues, pesquisadora (aposentada) do CBPF. O CBPF está cedendo o espaço (Auditório Ministro João Alberto Lins de Barros) para a exibição e o debate.

O evento é gratuito e sem necessidade de inscrição prévia. O público externo precisa apresentar documento de identificação na portaria.

O documentário tem apresentação do ‘Fórum Grita Baixada’ e ‘Centro de Direitos Humanos de Nova Iguaçu’, bem como apoio da ‘Rede de Mães e Familiares das Vítimas de Violência de Estado na Baixada Fluminense’, ‘Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência’ e da ‘Casa Fluminense’.

‘Nossos Mortos Têm Voz’ será também apresentado canal Brasil neste 27 de agosto às 17h30, com reprise no dia seguinte às 12h30.

 

SERVIÇO:

‘Nossos Mortos Têm Voz’ (Documentário)

Duração: 30 minutos

Direção, argumento e roteiro: Fernando Sousa e Gabriel Barbosa

Dia: 27/08 (segunda-feira)

Hora: 15h

Local: Auditório Ministro João Alberto Lins de Barros, no CBPF, à rua Dr. Xavier Sigaud 150 (perto do Shopping Rio Sul), Urca, Rio de Janeiro (RJ). Fone: (21) 2141-7100.

O evento é gratuito e sem necessidade de inscrição prévia. O público externo precisa apresentar documento de identificação na portaria.

 

Mais informações:

Quiprocó Filmes: http://www.quiprocofilmes.com.br/pt/home

Rede de Mães e Familiares: https://www.facebook.com/redemaesefamiliaresdabaixadafluminense/

Fórum Grita Baixada: http://www.forumgritabaixada.org.br

IAB: https://www.iabnacional.org.br/

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página