Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Leonardo da Vinci: o primeiro cientista moderno

Publicado: Terça, 01 de Outubro de 2019, 16h00 | Última atualização em Terça, 03 de Dezembro de 2019, 15h44 | Acessos: 308

Marco Cremona

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

 

Dia: 01/10 (terça-feira)

Horário: 16h

Local: Auditório do 6° andar, Edifício César Lattes, no CBPF, à rua Dr. Xavier Sigaud 150, Urca, Rio de Janeiro (RJ)

Será servido um café antes do Colóquio.

Entrada gratuita, sem necessidade prévia de inscrição. Público externo deve apresentar documento de identificação na portaria.

Transmissão ao vivo pelo canal do CBPF no YouTube (www.youtube.com/CBPFvideos), onde os eventos anteriores estão arquivados.

 

 

Resumo:

Visionário, inventor ou cientista moderno? Leonardo da Vinci representa o conhecimento e a experiência, a engenhosidade e a descoberta, a invenção e o pensamento livre e ilimitado que vai além de qualquer fronteira pré-estabelecida. Falar de Da Vinci é, portanto, falar de ciência e inovação. Em 2019, completam-se 500 anos da morte de Leonardo da Vinci, mestre do renascimento e um dos maiores pintores de todos os tempos. A palestra destaca por que Leonardo da Vinci pode ser considerado um cientista moderno. Apresentaremos as diversas disciplinas nas quais Da Vinci se alicerçou ao longo da sua vida: pintura, anatomia, botânica, engenharia. Além disso, mostraremos o modo como essas áreas foram abordadas por ele de forma diferente do que era comum à época. Sua postura sempre foi de culto à pesquisa, impulsionada por um processo de observação provocado por uma curiosidade fora do comum.

 

BREVE CV: 

Nasceu em Roma, na Itália, é físico pela Università “La Sapienza” di Roma. Doutor pela PUC-Rio, onde é professor associado III do Departamento de Física desde 1999. É pesquisador CNPq 1B e Cientista do Nosso Estado FAPERJ. Proferiu mais de 40 palestras em eventos científicos nacionais e internacionais. É autor de mais de 100 artigos científicos, 5 capítulos de livros e 4 patentes de protótipos de dispositivos. Foi um dos 25 brasileiros convidados a participar do evento Brazil-Day organizado pela Royal Society (London). É vice coordenador do Instituto Nacional de Ciência e tecnologia de Eletrônica Orgânica (INCT-INEO). É editor associado das revistas Optical Materials e Brazilian Journal of Physics. Trabalha com o desenvolvimento e a caracterização de dispositivos orgânicos (OLEDs, OPVs, OFET, etc.) e com propriedades físicas de nanomateriais, filmes finos e superfícies.

 

Mais informações sobre o palestrante:

CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/8194466311190528

registrado em:
Fim do conteúdo da página