Comissão de Ética do CBPF, em sua primeira sessão, recebe e analisa denúncias

Postado em: 21/03/2017

Em sua primeira reunião, realizada em 17 de março último, a Comissão de Ética do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), no Rio de Janeiro (RJ), iniciou a análise de denúncias ocorridas na instituição.

Antes mesmo da criação da comissão, a direção do CBPF repudiou, por meio de um manifesto público, as ocorrências, enfatizando não ser aceitável nenhum tipo de “discriminação, preconceito, constrangimento, bem como assédio moral, psicológico e sexual”.

A Comissão de Ética Institucional – criada pela Portaria n­o 12, de 13 de março de 2017 – é presidida pelo pesquisador titular do CBPF João Paulo Sinnecker e tem os seguintes membros: o tecnologista sênior Márcio Portes de Albuquerque; a tecnologista sênior Marita Maestrelli; a pesquisadora associada Magda Bittencourt Fontes; e a assistente em C&T Márcia Cristina Ferreira Aguiar. Participa como observadora indicada pela Associação de Pós-graduação do CBPF, a aluna Jade Barreto, com mandato de um ano, como determina a portaria.

Segundo artigo 1º da portaria, a criação da comissão – dotada de caráter permanente – tem como objetivo “analisar as denúncias recebidas referentes a conflitos interpessoais, assédio moral e sexual, discriminação de gênero, racial, religiosa e demais posturas inadequadas ou desrespeitosas”.

As denúncias podem ser feitas por meio do endereço eletrônico comissao.etica@cbpf.br ou contatando seu(sua) coordenador(a), bem como a própria direção do CBPF.

A Comissão de Ética está finalizando um cartaz para a conscientização de servidore(a)s e funcionário(a)s a ser afixado em áreas comuns do CBPF.

                  

Ouvidoria da Mulher

No último dia 10 de março, reunião realizada por servidoras e funcionárias do CBPF – como parte das comemorações pelo Dia Internacional da Mulher – sugeriu a criação de uma Ouvidoria da Mulher na instituição.

Já estão em andamento as discussões – restritas às mulheres – que irão indicar os procedimentos para a escolha da ouvidora, dos canais de comunicação, bem como questões administrativas relativas ao cargo e à sua criação.

 

Participantes da reunião, no CBPF, em 10 de março último, na qual se sugeriu a criação de uma Ouvidoria da Mulher

(Crédito: NCS-CBPF/MPA)

 

Uma das funções da ouvidora será levar as denúncias e queixas até a Comissão de Ética do CBPF, que tratará de avaliar os casos e recomendar as providências cabíveis.

O endereço eletrônico da Ouvidoria da Mulher também acaba de ser criado: ouvidoria.mulher@cbpf.br

 

Mais informações:

Reunião de servidoras e funcionárias: http://portal.cbpf.br/noticia/reuniao-com-servidoras-e-funcionarias-do-cbpf-propoe-criacao-de-ouvidoria-da-mulher/1086

Reunião de pós-graduandas: http://portal.cbpf.br/noticia/pos-graduandas-do-cbpf-organizam-evento-para-o-dia-internacional-da-mulher/1083

Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência: http://portal.cbpf.br/noticia/cbpf-comemora-hoje-10-o-dia-internacional-das-mulheres-e-das-meninas-na-ciencia/1076

 

 


****************************************************
Núcleo de Comunicação Social - NCS/CBPF
E-mail: ncs_cbpf@cbpf.br