Nesta sexta, 11, Renafae realiza sua oficina anual

Várias autoridades da comunidade científica e de agências de fomento confirmaram presença no ‘Workshop Anual’ da Rede Nacional de Física de Altas Energias (Renafae), evento que ocorre nesta sexta-feira (11), a partir das 9h, no Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), no Rio de Janeiro (RJ). O tema deste ano é ‘Instrumentação científica em física de altas energias no Brasil’.

Estarão presentes, por exemplo, Jerson Lima Silva, diretor científico da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj); Alexandre Leib Grojsgold, coordenador da Rede Rio de Computadores e representante da presidente da Faperj, Maria Isabel de Castro de Souza; Roberto Marcondes, representando o diretor científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp); Ricardo Galvão, diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em São José dos Campos (SP), ex-diretor do CBPF e ex-presidente da Renafae; Manoel Cecílio de Miranda, pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

Há ainda a possibilidade da presença do deputado federal Celso Pansera (PMDB/RJ), ex-ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação e atual vice-presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI), da Câmara dos Deputados, bem como dos presidentes da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesba).

 

Tecnologia de ponta

A oficina, que ocorrerá no auditório Ministro João Alberto Lins de Barros, começa às 9h, com a abertura feita por dois pesquisadores titulares do CBPF, Ronald Shellard, diretor da instituição, e Ignácio Bediaga, presidente da Renafae.

Em seguida, a programação traz cerca de 20 apresentações breves – em média, cerca de 20 minutos cada –, feitas por pesquisadores dos principais experimentos científicos (nacionais e internacionais) de altas energias dos quais o Brasil participa (por exemplo, Alice, CTA, LHCb, CMS, Atlas, Alpha, Auger, Neutrinos Angra e Connie).

Essas apresentações envolvem eletrônica de altíssimas velocidades, detectores de última geração, estruturas mecânicas de alta precisão, além de sistemas de controle e testes de sistemas de detecção de partículas. “Todos os projetos são desenvolvidos em colaborações internacionais, no estado da arte da tecnologia de ponta", explicou Bediaga.

“Ao final das apresentações, teremos um debate, com participação de convidados e representantes de órgãos financiadores, para discutir as dificuldades e os problemas na execução dos projetos da área e como minimizá-los”, disse o presidente da Renafae. Bediaga se refere à ‘Discussão sobre os problemas enfrentados no desenvolvimento da atividade de instrumentação’, prevista para começar às 17h10 e mediada por Marcelo Munhoz, professor do Instituto de Física da Universidade de São Paulo.

 

A Rede

A Renafae foi criada em 2008 pelo então Ministério de Ciência Tecnologia e Inovação e tem quatro objetivos: i) promover, no Brasil, o avanço científico e tecnológico da investigação das propriedades das partículas e suas interações fundamentais; ii) consolidar e ampliar a pesquisa em física de altas energias, expandindo a capacitação científica e técnica necessária para explorar os benefícios resultantes dos desenvolvimentos associados e suas implicações tecnológicas; iii) desenvolver um programa de mobilização de empresas instaladas no país, para atuar no desenvolvimento da instrumentação e do software para as colaborações internacionais da área; iv) coordenar as atividades dos grupos atuantes em física de altas energias e, em particular, as atividades associadas às grandes colaborações internacionais.

Recentemente, a Renafae lançou dois fôlderes didáticos: um sobre a própria rede e outro sobre a participação do Brasil no Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (CERN), na Suíça, onde está o acelerador mais potente da atualidade, o LHC (sigla, em inglês, para Grande Colisor de Hádrons). O Brasil participa dos quatro grandes experimentos do LHC e pleiteia sua adesão àquele laboratório internacional como membro-associado.

 

Dúvidas e informações

Dúvidas e mais informações sobre o evento podem ser obtidas com Awena Jones, na Secretaria do Conselho Técnico-Científico da Renafae, sediada no CBPF, por meio do telefone (+55 21) 2141-7511 ou do endereço eletrônico awena@cbpf.br

O CBPF fica à rua Dr. Xavier Sigaud 150, no bairro da Urca, Rio de Janeiro (RJ).

 

Mais informações

Página Workshop Anual: https://indico.cern.ch/event/647995/.

Renafae: http://mesonpi.cat.cbpf.br/renafae/

Fôlder Renafae: http://portal.cbpf.br/attachments/destaques/Folder LHC_Renafae.pdf

Fôlder ‘Brasil no CERN’: http://portal.cbpf.br/attachments/destaques/CARTAZ - FOLDER CERN.pdf

Facebook Renafae: https://www.facebook.com/Renafae-1040734626012590/

CBPF: http://portal.cbpf.br/